ACIA lança 10 medidas para Araraquara prosperar

A geração de riquezas no município e a arrecadação de impostos são fundamentais para que os gestores públicos realizem os investimentos em saúde, educação, transporte, segurança, etc.

O setor produtivo empresarial possui um papel essencial nesta equação, tanto no investimento privado, quanto na manutenção e geração empregos através de suas atividades profissionais.

Se o setor empresarial não for bem, o município também não irá bem.

Diante deste quadro, a Associação Comercial e Industrial de Araraquara – ACIA, instituição de 82 anos de existência e de serviços prestados, que representa centenas de empresas dos setores produtivos comercial, industrial e de serviços no município de Araraquara, ouvindo e atendendo aos seus associados e cumprindo seu papel institucional, em atenção às eleições municipais, lançou as “10 MEDIDAS PARA ARARAQUARA PROSPERAR” direcionadas aos candidatos a prefeito de Araraquara.

Estas medidas serão pessoalmente apresentadas e debatidas comos candidatos a prefeito de Araraquara na semana de 12 à 19 de Setembro de 2016.

Já confirmaram presença e participação os candidatos Aluísio Braz, Edinho Silva, João Farias e Nino.

Veja quais são essas medidas:

10 MEDIDAS PROPOSTAS PELA ACIA PARA ARARAQUARA PROSPERAR

(fortalecimento do setor empresarial, aumento da geração de empregos e da arrecadação de impostos a partir de iniciativas públicas, visando melhorar a qualidade de vida no município)

ZELO, MANUTENÇÃO E INVESTIMENTOS NAS VIAS PÚBLICAS

Aperfeiçoar e intensificar a limpeza, iluminação, sinalização, segurança e a manutenção das calçadas e do asfalto das ruas e avenidas identificadas como “corredores comerciais”, principalmente pelo fato delas receberem maior fluxo de veículos e trânsito de pedestres.
Melhorar a infra estrutura urbana dos distritos industriais, fazendo ou recuperando a pavimentação asfáltica, as redes de água e esgoto, a iluminação pública e intensificar a segurança nessas regiões, além de criar incentivos fiscais ou operacionais para que, empresas fornecedoras de telecomunicações (telefonia e internet), possam levar com custos acessíveis seus serviços até estas indústrias, viabilizando o funcionamento delas e aumentando a rentabilidade dos seus negócios, diante de concorrentes nacionais e internacionais.
Revitalização do Mercado Municipal “Mercadão” e da região da antiga Estação Ferroviária, visando o desenvolvimento do comércio daquela região e explorando o potencial turístico desconsiderado.
Zelo e segurança das praças públicas, principalmente as localizadas próximas aos bancos, que hoje estão servindo de local para concentração e esconderijo de criminosos e de usuários de drogas.

TRANSPORTE

5. Transporte público com maior frota de ônibus nos horários de chegada e saída dos trabalhadores (horário comercial). Rever localização de alguns pontos de ônibus na região central para evitar acidentes e atropelamentos de usuários e de pedestres. Retorno do ônibus com circulação 24 horas por dia “corujão”.

6. Maior transparência na prestação de contas com os recursos arrecadados pela Área Azul, dando publicidade aos balanços financeiros da empresa que explora o serviço, que deverá apresentar aos vereadores e prefeitura sua margem de lucro X investimentos, antes de realizar novos reajustes de tarifas, que dificultam usuários de serviços e clientes do comércio e estabelecimentos localizados na região central da cidade.

MEIO AMBIENTE

7. Buscar novas soluções técnicas e parcerias operacionais que produzam redução da taxa do lixo / resíduos sólidos / ambiental, viabilizando o funcionamento e o crescimento de empresas que são altamente taxadas na utilização destes recursos, bem como, criar incentivos fiscais para empresas que possuem iniciativas de reuso e reciclagem destes recursos.

FISCALIZAÇÃO, IMPOSTOS E TAXAS MUNICIPAIS

8. Aumentar a fiscalização contra o comércio irregular, principalmente o comércio ambulante de produtos não alimentícios, de procedência e qualidade incertas “piratas”. Terceirizar o serviço de fiscalização para aumentar a eficiência nos resultados, fortalecendo o comércio formal que gera empregos e paga impostos no município.

9. Criar incentivos fiscais com redução de taxas municipais e redução de 0,5% do ISSQN (não acumulativo com outras reduções concedidas) para as empresas de comércio e de serviços se instalarem nos bairros da cidade, visando “descongestionar” a região central, desenvolver outros bairros e melhorar qualidade de vida dos trabalhadores destas empresas, pois alguns poderão morar mais próximos de seus empregos e utilizar meios de transportes mais econômicos e saudáveis como a bicicleta.

10. Igualdade de incentivos fiscais, tanto para as empresas que forem convidadas a se instalarem em Araraquara, quanto para as que já estão instaladas e são do mesmo seguimento profissional, visando o aumento de número de empresas na cidade e não a substituição da mais empresa já instalada pela mais nova, devido a falta de tratamento isonômico fiscal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.